10 Dicas Para Prefeituras Que Querem Inovar

A nova fonte de poder não é o dinheiro nas mãos de poucos e sim a informação nas mãos de muitos

john naisbitt


Já há alguns anos, temos incentivado os gestores municipais, com os quais temos tido contato em cursos e eventos, para que busquem, na inovação, o dinheiro que não mais existe no caixa. Que isto não é fácil e que não surge em um passe de mágica, está claro. Por outro lado, pensar os municípios ignorando que o mundo vive hoje um quadro de mudanças radicais, sem parâmetro na história, equivale a gastar tempo e energia correndo atrás de um ilusório pote de dinheiro que se encontra no fim do arco-íris.


Esta realidade, de crescente complexidade, faz com que na maioria dos 5570 municípios brasileiros, independente de porte ou localização, haja um preocupante descompasso entre as legítimas demandas da cidadania e a capacidade do poder público em atendê-las. O binômio corrupção e mau gerenciamento, aliado a um processo civilizatório excludente, resultaram em uma triste realidade na qual, em pleno século XXI, não obstante as melhorias obtidas nos últimos anos, a maioria dos municípios apresente índices de desenvolvimento humano municipal - IDHM considerados insatisfatórios pela Organização das Nações Unidas - ONU.


A choradeira para por ai. A mensagem que gostaríamos de levar aos políticos e gestores públicos bem intencionados que queiram, com suas equipes, de fato, virar o jogo, é que essas grandes alterações que estão varrendo o mundo, devem ser enxergadas pelo lado das oportunidades abertas para os municípios, não importa onde estejam, nem o seu tamanho.


Com este propósito, atualizamos um roteiro já proposto em ocasiões anteriores, com dez dicas para as prefeitas e prefeitos recém-eleitos que estiverem predispostos a enfrentar o cinturão de ineficiência e iniquidade que envolve a maioria de nossas cidades, usando a inovação como motor. Nossa abordagem está fundamentada no fato de que a riqueza está, hoje, mais do que nunca, atrelada ao conhecimento, um insumo que não está à venda, mas que pode ser construído a partir da criatividade, da geração e aproveitamento de novas ideias e modelos de negócio, do uso de novas tecnologias cada vez mais acessíveis, e, sobretudo, pela valorização da inteligência coletiva que envolve, de forma invisível, cada município. Aqui vão nossas sugestões.


1. Não tenham medo da tecnologia


Prefeitos não precisam necessariamente entender de computador e não devem ter nenhuma vergonha disto. Por outro lado, precisam ter a sensibilidade de perceber que a tecnologia é, hoje, instrumento indispensável para levar qualquer município para frente. Assim sendo, é fundamental, logo de cara, montar uma equipe boa que saiba mexer com essas geringonças e que atue diretamente sob o comando do prefeito. Há uma série de programas federais, estaduais e oferecidos por organizações não governamentais – ongs, que podem ajudá-los a treinar funcionários, a estruturar uma boa infraestrutura de comunicação, a obter bons equipamentos a preços competitivos, e tudo o mais. Na era do conhecimento, uma rede de banda larga vale tanto quanto uma nova indústria ou estrada.


2. Transformem cidadãos em colaboradores


Não se assustem, vocês não precisam contratar ninguém para isso. Hoje, existem milhões de pessoas dispostas a colaborar, de forma gratuita, para melhorar a vida nas cidades. Na Internet há uma série de programas e serviços gratuitos que podem ajudá-los na zeladoria da cidade. Com eles, seus munícipes podem colaborar na fiscalização do funcionamento de hospitais, escolas, creches, conservação das ruas, etc. Existem diversas organizações sociais sérias que podem ajudá-los na tarefa de localizar e por para funcionar esses programas. Ponha sua turma de tecnologia para ir atrás delas.


3. Não fiquem acomodados em suas salas


Não tentem resolver tudo a partir de seus gabinetes ou de dentro da prefeitura. Os computadores, por melhor que sejam, não valerão nada se não forem ocupados com projetos importantes. Para descobri-los, visite cada pedaço de seu município e imagine como você e seus munícipes gostariam de vê-lo daqui 10 anos. Participe de congressos e seminários. Converse com outros prefeitos e lideranças importantes. Peçam à sua turma de tecnologia que crie um banco de dados com todas as entidades públicas e privadas que podem ajudá-lo não só a resolver os problemas do dia a dia como, também, a criar o município de seus sonhos. Você irá se surpreender como o número de organismos que poderão ajudá-lo.


4. Junte ideias e ponha-as para funcionar


Ideias simples postas para funcionar podem solucionar muitos dos problemas do seu município, sem que vocês precisem gastar muito dinheiro com isso Consultem seus funcionários e a população. Coletem ideias, tire-as do papel, e premie aquelas que derem certo. Hoje há muitas técnicas, bem em conta, que facilitam esse processo. A sua turma de tecnologia pode descobri-las para você.


5. Estimulem a economia criativa


O que o desenvolvimento de aplicativos para smartphones, os grupos de rock e a fabricação de bijuterias têm em comum? Todas elas fazem parte de um dinâmico segmento da economia que abriga atividades ou ocupações criativas. Este conjunto de atividades e ocupações tende a ser um dos maiores geradores de riqueza e de novas oportunidades de emprego ao longo do século XXI. Engatem seus município nesse trem do futuro. Criem incentivos para atrair pessoas talentosas para sua cidade. Quanto mais facilidades você oferecer, mais talentos você atrairá e mais empregos irá gerar.


6. Melhore a prestação de serviço usando as novas tecnologias e as mídias sociais


Quase todos os serviços municipais podem ser melhorados com o auxílio das novas tecnologias (computadores, tablets, smartphones, etc.) e das novas e crescentes mídias sociais (whatsApp, twitter, blogs, youtube, facebook, etc.). Usem os serviços de sms, os chamados torpedos, o whatsapp e o twitter para avisar a população sobre campanhas de vacinação, emergências em caso de enchentes, incêndios, etc., para agendar idas a hospitais, matrículas em escola. Criem unidades que concentrem diversos serviços, e que facilitem a vida dos munícipes. Usem sua imaginação que a tecnologia dará suporte.


7. Ponham a administração para conversar


Os problemas municipais estão cada vez mais difíceis de serem tocados dentro de uma só secretaria, departamento ou unidade. Eles envolvem o esforço de diversas especialidades. Por exemplo, um programa habitacional não pode se esquecer da segurança, das creches, do uso do solo, do transporte e por aí vai. Para que essas ações não tragam dores de cabeça depois, pensem nisso enquanto eles estão no papel. Ou seja, juntem todos os envolvidos para fazer um bom projeto que não percam nenhum detalhe que possa significar atrasos ou dinheiro jogado fora. Programas de um dono só geralmente não dão certo. Trabalhar em equipe é fundamental nos dias de hoje. Mobilizem seus auxiliares e ponha-os para conversar e elaborar conjuntamente os projetos. Depois disso, definam gerentes que conheçam o problema e que saibam trabalhar em equipe. Dá trabalho antes, mas evita a UTI, depois.


8. Comprem bem


Comprar bem, usando a legislação adequada, constitui uma das mais importantes atribuições dos prefeitos. Uma compra cuidadosa permite não só esticar os normalmente escassos recursos colocados à disposição das prefeituras, como promove a transparência dos atos públicos. Felizmente, essa nobre missão, hoje em dia, está muito facilitada. O governo federal e as administrações estaduais possuem, hoje, sites específicos, de ótima qualidade, para orientar as compras públicas. O Governo de São Paulo, por exemplo, coloca a BEC - Bolsa Eletrônica de Compras, a disposição dos municípios que queiram melhorar e tornar mais transparente a gestão de suas compras. Dentro dela, as prefeituras encontram, também, o CADTERC - Cadastro de Serviços Terceirizados, a mais importante referência nacional sobre o tema. Ali os agentes municipais podem ter acesso a diversos estudos sobre a formação de preços de serviços (limpeza, segurança, alimentação, só para citar alguns), além de links que apontam para a legislação que regula essa matéria, informações sobre pregões, manuais de editais, etc. O site e seus links são um autêntico consultor on-line trabalhando para sua prefeitura, sem cobrar nada por isso. Não deixem de usá-lo.


9. Transformem seus municípios em uma grande escola


Prover educação de boa qualidade a todos os brasileiros é provavelmente o maior desafio nacional. Somente por meio de ações sérias e continuadas nessa área, conseguiremos diminuir, de forma consistente, as desigualdades, que ainda nos envergonham, e entrar pela porta da frente na emergente sociedade do conhecimento. As prefeituras tem papel fundamental nesse esforço. A escola no século XXI não pode se limitar a um determinado espaço físico para o qual as pessoas se dirigem em determinado horário. A aprendizagem, em nossos dias, precisa muito mais do que isso. A escola tradicional é apenas um dos locais destinados ao ensino. Aprender hoje é atividade continuada que abrange todo o ciclo de vida, desde o maternal até a melhor idade. Para tanto, qualquer próprio municipal, as relações de vizinhança, a casa dos munícipes, os pontos gratuitos de acesso a Internet, o celular de cada um, as empresas instaladas em sua cidade e, obviamente, as escolas tradicionais devem formar uma grande rede de aprendizagem no ar 24 horas por dia, sete dias por semana, que impulsione ações pedagógicas inovadoras que englobem alfabetização, reciclagem profissional, preparação para novas ocupações que estão nascendo, entre outros desafios. Vá atrás de quem esteja interessado em revolucionar seu município. Você irá encontrar muitos sócios nessa empreitada. Também aqui, a Internet irá ajudá-lo a descobrir parceiros.


10. Criem uma marca para seu município


Lembrem-se que, no Brasil, existem 5569 municípios, além do seu. Por isso, é de todo conveniente criar uma marca que o distinga dos demais e que deixe bem claro os enormes desafios que você está abraçando para prepará-lo para o século XXI. Envolva toda a municipalidade nesse esforço criativo e premie as melhores sugestões. Para conseguir patrocínios, falem com o coração e expliquem seus sonhos. Se vocês acreditarem neles e estiverem firmemente empenhados nessa revolução, não faltarão organismos que queiram ajudá-los.


Relembramos, para acabar, que essas dicas não são saídas milagrosas que irão transformar suas vidas em um mar de rosas e sua cidade em um paraíso sobre a terra. Isso, infelizmente, não existe. Mas uma coisa podemos assegurar, se vocês tiverem vontade política de implementá-las, ao cabo de dois anos, seus municípios terão mudado de patamar e começarão enxergar novas oportunidades para as atuais e futuras gerações que pareciam impossíveis no dia de sua posse.


Senhoras e senhores, cabeças a obra.

editoria e curadoria: josé antônio carlos  - professor pepe, utilizando a plataforma wix